domingo, 24 de março de 2013

Operação Tripas no Olho

Não é esta a página em que obrigatoriamente deveria ser publicada a Operação. Mas devida à dimensão e grandeza da dita, tem forçosamente de chegar a todos os cantos do mundo. Esta é,  portanto, a melhor via. 
E antes de mai'nada, é forçoso dirigir uma palavra de elogio às tropas envolvidas, não só pela coragem demonstrada no ataque final ao objectivo TRIPAS, como pela pontualidade, leveza nas caminhadas e condução cívica em todo o percurso. Antes, durante e após.
Posto o entroito em destaque, segue-se o pormenor da operação, que adoptando a gíria, foi de uma limpeza completa.
 
11h30m em ponto. No local de encontro do Bolhão o pessoal da zona - Edu Campos, Carvalho, Teixeiras, Peixoto, Quintino - estava pronto para seguir em marcha calma. O Moreira apanhou-nos ao virar da esquina.   

O reencontro com Vila Real representado pelo Fernando Súcio, recebido à boa maneira do Porto. Tudo dentro da hora combinada.
 
Novo ponto de encontro na Estação de S. Bento para recebermos os compadres de Penafiel, Cancela e Peixoto, ao qual se juntou o Pira M.R. O Carmelita chegou afogueado pois o GPS conforme previsto não funcionou. Que para o caso não interessou nada. Mas deu ainda para nos fazer a foto do conjunto.

 Obrigatório espreitar a Estação de S. Bento e cumprimentar o Egas.  

E colocar a conversa em dia. 

Hora de tirar o azimute para a Sé. E espreitar o local do assalto ali a 50 metros.

Retomada a marcha às 11H50m como previsto, seguiram as tropas pela rua do Loureiro em direcção à Sé e tomar um cimbalino na Confeitaria Serrana e admirar a maravilha do tecto e varandins. Mesmo ao lado, impossível não admirar a Casa Arcozelo, os seus queijos e fumeiro. Para além do resto. Um desabafo do Súcio, vamos às Feiras do Fumeiro comprar o dito e ele está aqui a metade do preço.

Havia rapaziada que já não vinha para estes lados há manga d'anos. E nunca tinham visto a estátua do Porto de castigo, voltada para o Mamarracho do Fernando Távora. Opinião unânime: Vai o mamarracho abaixo, já...Tirem o velho Porto do castigo para que olhe realmente a Cidade. E nós também queremos olhá-la. 
Umas e uns estudantes futura(o)s doutores andavam a pedir. Bem vestidos de capa e batina, elas de saia. Os sacos das esmolas eram transportados por mocinhas, vestidas com uma camisola vermelha, cor do curso que daqui a uns anos irão (?) fazer. O Cmdt-em-Chefe (eu) dirigi-me a uma das estudantes para nos tirar a foto da ordem. Ela com voz autoritária mandou uma mocinha baixinha fazê-lo, que simpaticamente obedeceu. Logo a "mandona mandou" as moças com o saco pedir esmola. Chamada em frente das tropas, foi-lhe dito que não merecia, pois não se dignou fazer a foto. E a razão era só uma. Como ela é alta, melhor se veria a Cidade do Porto.   
O Carvalho que ainda é cavaleiro (segundo a publicidade do próprio...) quis para recordação o Vimara e o seu Cavalo. Demorou muito tempo a apreciar o monumento, especialmente os baixos do conjunto. E Carmelita também gostou de apreciar. Mas o nosso objectivo era outro.  
Recordações no alto do Morro da Sé. Compadres de Penafiel, à esquerda. Pira M.R. e Moreira à direita. Gerações várias dentro da mesma geração.

A descida fez-se por Pena Ventosa, Santana e Bainharia. E os rapazes a recordar velhos tempos e a contar estórias.
Aproximava-se a hora do ataque final. 

12H55m. Finalmente o objectivo. Foram momentos de concentração, já com o Zé Ferreira de Catió e o Tavares Fozeiro integrados, depois de terem vindo à frente explorar o local. O Fernando Biochene ninguém deu por ele, pois estava devidamente camuflado, esperando calmamente o desenvolvimento dos acontecimentos. 
O Barbeitos que trazia um reforço vindo de Lisboa/Monção/Porto, teve um pequeno contratempo no Carmo. Insignificâncias.
13H em ponto e a maravilha do reduto inimigo. Fotos antigas e desenhos à pena (alguns, cópias, do Barão de Forrester) da Cidade. E pedra granítica. 

Antes do ataque final, pensa-se, fála-se, recorda-se Guiné.  
 O INIMIGO
Capturado sem oferecer resistência (é uma forma de dizer) transforma-se e retorna como tema de amizade, convívio e essas coisas que os velhos combatentes, hoje PESTE GRISALHA, sabem conservar.
Encontramos um camarada que esteve em Angola, motivo para uns minutos de conversa.
O Barbeitos e o neto em que estarão a pensar...

14H30m. Biochene e Pira já tinham partido para outros objectivos, após a concretização do nosso principal totalmente conseguido. A foto da praxe após missão cumprida.
 
Retornando a caminhos muito percorridos mas já um pouco esquecidos com objectivo de aliviar o stress na Ribeira.
Souto, Bainharia, Mercadores, Infante. 

Eis-nos na Ribeira. A caminhada a fazer-se sentir nas pernas. Hora de descanso e na fonte do Miradouro é que se está bem, com uma(s) loirinha(s) ao lado. E apanhando o resto do Sol de Inverno.
 O Barbeitos, num grande flash de um dos repórteres de imagem, parece admirado com algo. 

Subir estava fora de questão. A não ser de elevador. O Carmelita fez uma aposta que pela Escadas do  Codeçal chegava primeiro. Pobre Carmelita, bem o avisamos. Nunca mais foi avistado.

A confirmação de uma retirada em pleno, cheia de Glória. Dividiu-se a rapaziada, cada qual para o seu retiro, com a certeza do dever cumprido. 

 Devolvemos o Súcio para o regresso e novas partidas.

Os últimos refrescam-se com mais uma loirinha e aproveitam para contar novas estórias.
No Bolhão.

Repórteres de imagem: Carvalho, Carmelita e Portojo. Houve outros mas como até ao momento não chegaram mais imagens a publicação do relatório não pode esperar. O Presidente do Bando sempre em falta em vez de dar o exemplo.

Uma pequena anotação do editor.
Como todos sabem, para que a organização desta operação corresse de forma tão competente, foi colocada à disposição do Cmdt-em-Chefe (eu) uma "pomada" chamada de Aguardente Velha do Monge Morto. Que só se produz no território autónomo pertença do Peixoto compadre de Penafiel.
Foi pedida pelas tropas a abertura da "pomada" após o assalto final. O que foi negado pelo Cmdt. (eu). Para Tropas que só tomam "cheirinhos" uma vulgar branquinha ABC serve perfeitamente.
Além do mais, a referida pomada Velha do do Morto se fosse aberta não chegaria em condições à secretaria do comando de forma a ajudar à feitura deste relatório.
Tenho escrito.

A todos os amigos e camaradas estejam onde estiverem, o Comando -pode ler-se também Presidência (?)- do Bando do Café Progresso deseja-lhes muitos convívios. E se possível votem em mim um dia destes a ver se corremos com o Presidente JTeix45 que já há mais de 5 anos anda a mamar forte e feio. E ainda por cima não diz nada e muito menos dá sinal de vida. Deve ter a mesma escola do outro. Penso eu de que...

Adeus, até à próxima.




10 comentários:

Anónimo disse...

Belos passeios em boas companhias, até sinto inveja e obrigada por mais esse passeio cultural. Pena não poder votar, mas, de cá de Natal(Brasil), torço por sua vitória. De cá também, o meu abraço carinhoso. Jacinta

Anónimo disse...

Adorei por me enviar esta linda comemoração feita pelo Bando do Café Progresso,parabéns e felicidades a todos vcs.bjssssss Dirce

Anónimo disse...

Gostei de ler o escrito deste comandante ou presidente que não o faz no facebook mas por maile e rever as caras desse grupo de "malandros" afamados em encontros e comezainas à moda do Porto...
Gostei também de rever a figura do soldado e guerreiro, agora sim castigado e parece que no eterno, Porto.
Um abraço,
BS

Anónimo disse...

Pelo que vejo o Silva tomou-lhe o gosto e passou a ser um freguês assíduo.
Um abraço
Ribeiro

Santos Oliveira disse...

Sinceramente?
Gostei desta participação.
"Condor" aqui e ali, mas fixes. Voaram e dera a voar.
Abraços a todos.

Santos Oliveira

Casimiro Martins disse...

Excelente trabalho tanto a nível fotográfico como textual. Os meus Parabéns a esse Fantástico grupo, não haja dúvidas camaradagem como essa é coisa que vai rareando salvo algumas e boas excepções como a dos companheiros dos Artistas Reunidos. Felicidades para todos. Continuem...

jteix disse...

O presidente não faz o que lhe mandam, manda fazer, por isso é que tem os seus (in) subordinados e agora até um Cmdt-em-Chefe (eu)(?) não, tu, recentemente auto-nomeado.
Fui o "primeirinho" a publicar três fotos no face que só não tas mandei directamente com receio que elas fossem ofuscar o trabalho do editor.
Se não fosse o prestigio do presidente aquilo resumia-se aos suspeitos do costume.
Mas pronto, para ele não ficar desanimado digo-lhe que gostei... das tripas claro, mas também da reportagem, apesar de... da afronta.
Um abraço
cumprim/jteix

António Manuel - Tómanel disse...

Bom grupo.
Um abraço ao Eduardo Campos.
Fiquei com inveja, mas por cá também temos bons petiscos.
Cumprimentos e um abraço cá do Algarve.
http://umraiodeluzefezseluz.blogspot.com

Zé Ferreira disse...

Na minha contabilidade paralela, onde a fuga é sempre desejada, gosto de periodicamente avaliar os resultados. E nos 365 lançamentos reparo que a grande maioria (mais de 80%) está referenciada com a palavra "IDEM".
Nos 20% restantes, delicio-me com os apontamentos sobre os netos, filhos e amigos. Tudo somado com uma dose de boa saúde e outra de boa disposição, e tenho um resultadinho capaz de justificar a troika da vida. Porém, para quem gosta de viver e de utilizar bem as suas energias, é imperioso facturar mais. Então, temos a pesca, os convívios dos amigos do CNáutico e os Convívios de Ex-Combatentes.
Agora sim, vejo o salto a aparecer.
Mas ao dar mais uma olhadela para o resumo, constacto:
- Afinal, ficam poucos dias para ocupar a galeria da nossa memória.
Ainda bem que existem convívios.
Obrigado Portojo e todos os outros que me têm ajudado a facturar bons momentos de felicidade.
Abraço para todos
JF


Jorge Ramiro disse...

É um lugar muito agradável. Me lembra o Sevilla, eu trabalho em ums restaurantes em moema com filiais em Espanha e sempre viajo para Sevilha. É um dos meus lugares favoritos.