terça-feira, 8 de setembro de 2009

As Vindimas no Douro

Há coisas que imaginamos e queremos realizar mas nunca o conseguimos. Já consegui realizar alguns sonhos, bem antigos. Agora consegui realizar outro. Participar de uma vindima no Douro. Pois digo que é uma coisa do outro mundo. Não é possível descrever, o que se sente nesta altura, naquelas terras.
Acordei cedo neste domingo, ainda a Lua estava alta. No ar um cheiro a môsto que embriaga. Olhei lá para o fundo das serranias, mal vislumbrando os seus contornos.
Por cima do Rio Douro, a neblina matinal percebe-se nitidamente. Só desaparecerá com a outra neblina, aquela permanente que nesta altura cerca os montes, dando-lhes uma cor que deixa a garganta seca.
Aqui não chove desde Junho. As uvas não encheram como deveria ser. Mas a sua doçura enjoa os paladares mais sensíveis.
As uvas estão do meio da videira para baixo. Os cachos entrelaçaram-se nos arames. As gavinhas misturaram-se. Mas é preciso cortar o pé mais curto possível. Ou então por partes. Algumas uvas esmagam-se nas mãos, por muito cuidado que se tenha. Pelo menos a mim. O melaço cola a tesoura à mão.
Já doem um pouco as costas e as pernas. Começa-se pelo fundo da encosta e vai-se cortando até ao cimo. Onde a meio da manhã nos espera um almoço tradicional: Sardinhas, batatas cozidas, broa e vinho. Não resisti à tradição. Um pouco de descanso, fumar um cigarro e regressar à luta.
Individualmente vamos deixando as uvas em baldes pequenos, que posteriormente se vazam para baldes de 60 a 70 kg.
Que moços transportam encosta a cima ...

... até os deixarem na camioneta que transportará as uvas até ao lagar, ou à cuba que fará o seu trabalho.
Mudando de vinha, o processo é igual. Só que esta tem a característica de ter sido plantada em paralelo e não na vertical, em relação ao monte. O pessoal parecem mosquitos, que mal se diferenciam, no meio dela.
Fiquei impressionado pelo trabalho, que já tinha imaginado. Especialmente por conhecer parte destas terras da Quinta da Senhora da Graça.
Contaram-me que antigamente e não vai há muitos anos, quando não havia carrinhas nem os caminhos actuais, que só de andar neles meia dúzia de metros ficamos com tonturas e os pés todos arrasados, o transporte das uvas eram em cestos de cerca de 100 kg e teriam de ir à Régua para seguirem depois para a Quinta do Judeu, onde eram pisadas. Conheci este itinerário por estrada. Imaginei os caminhos antigos. Pelos montes deverão ser cerca de 12 km. Cada homem ganhava a sua jorna mas teria de fazer 5 vezes o trajecto. Havia um, ainda vivo, que transportava 2 cestos e ganhava 2 jornas. Por tudo isto, o Vinho do Douro e do Porto tem de ser muito bom.
Por alguma razão o Marquês de Pombal, no século XVIII, decretou esta região demarcada. A primeira no mundo de vinhos únicos e de alta qualidade.










7 comentários:

Anónimo disse...

Gostei muito do blog"! gostava muito de ir para as vindimas o douro! mas nunca encontro nada na internet..sabe-me dizer onde eu posso encontrar incrições? obrigado

Portojo disse...

Caro amigo ou amiga.
Há turismo próprio nesta altura do ano. Procure em Viagens no Douro, ou mesmo só Douro e vão-lhe aparecer agencias.
Se é mesmo para trabalhar, acho que já é um pouco tarde. Mas tente um centro de empregos. Vila Real, Régua, Pinhão.

Lu disse...

Muito lindo Jorge!!!
abraços e beijinhos...

B disse...

Extraordinário como uma pessoa que não é do Douro consegue captar e descrever tão fielmente e com tanto pormenor a vivência das vindimas nesta região singular.
Eu sou Duriense de gema e impressionou-me a sua capacidade de olhar e ver a essência da atmosfera que se vive nesta época, de valorizar os pequenos detalhes, de se admirar com o que de mais simples e belo o nosso Douro oferece!
Muito bem!!!

B disse...

Extraordinária a capacidade de ver e sentir a essência do Douro numa só visita.
Até a mim, que sou Duriense de gema (e clara e tudo!!!), sensibilizou a forma como descreve o seu dia de Vindimas, como reconhece e valoriza a importância dos pequenos pormenores da beleza e do trabalho.
É um privilegiado, pois tem a semsibilidade de apreciar as coisas belas e simples!

Anónimo disse...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!

Portojo disse...

Obrigado pelo seu comentário
Thank you for your comment